Iemanjá

Divindade de Umbanda, é o Trono Feminino da Geração, irradia geração o tempo todo de forma passiva não forçando ninguém a gerar ou criar, mas sustentando a todos que buscam “dar vida” e criar. Fator gerador ou “criacionista”. Elemento água, presente no Mar. Sua cor é o azul-claro. É a senhora da geração da criatividade. Podemos dizer que uma de suas qualidades mais marcante é a de mãe. Pedra: água marinha, pedra da lua, ciatina azul

 

Comentários: Trono Feminino da Geração, Iemanjá, Divindade muito adorada e de fácil localização, pois se não aparece relacionada ao mar aparece como a Grande Mãe. Na Umbanda, quase não há sincretismo de Iemanjá, sendo sua imagem como Orixá de Umbanda muito conhecida. Pode ser sincretizada com Nossa Senhora dos Navegantes, aquela que protege os que vão ao mar. Sua cor é o roxo ou as três juntas: branco, vermelho e preto. Orixá Masculino que reina no Cemitério junto com Obaluayê. Senhor da Morte.

TRONO DA GERAÇÃO:

IEMANJÁ E OMULU

Omulu

Divindade de Umbanda, é o trono Masculino da Geração, absorve a geração desequilibrada de forma ativa, paralisando o ser propenso a o desequilíbrio; cósmico, pune quem dá mau uso ou se aproveita dessa qualidade divina intervendo seu valor e levando a morte no lugar do nascimento da geração. Fator paralisador, ajuda a cessar ações negativas. Elemento terra que estabiliza, presente nos cemitérios e no mar. Sua cor é o roxo ou as três juntas. Pedra: turmalina negra, onix

 

Comentários: Trono Masculino da geração, Omolu, aparece como uma Divindade pouco compreendida em seu mistério pelo temor que todos têm da morte, por não entenderem ser ela natural quanto o nascimento. Na Umbanda, é sincretizado com São Roque ou São Bento.